FANDOM


Akvlando

1) LA LIMO

A) PONTAS DA MORTE
2) TERRA DOS ESQUECIDOS B) O OUTRO MUNDO
3) FORALEN C) TRIÂNGULO DE YANA
4) GARAGATÁ D) CIDADE PENTAGONAL
5) LA TORĈO E) ILHAS INCERTAS
6) JARAŜÉ F) ISLANDETARO
7) JARAILÊ G) ANEL DOS DEUSES
8) UPENDI, NAG e LETIS
9) METILENE


GeografiaEditar

Akvlando, ou "O País das Águas", é um continente formado por ilhas (algumas centenas delas não representadas neste mapa).

Dois mares banham todo o continente, Dolĉamar ao sul e Larmaro ao norte.

Dolĉamar (pronuncia dol-tchá-mar) é um mar de água calma, clara e pouco profunda. Seu nome vem de suas águas doces, que vem da corrente do Rio Ipear, cuja força chega até Jaraŝé, passando por Metilene, Nag e Letis.

Larmaro, ou Larmmaro, "Mar de Lágrimas", tem as águas profundas, escuras e agitadas, cuja navegação exige muita perícia.

A parte norte do continente é extremamente fria, sendo que boa parte do mar congela no inverno. La Limo e a Terra dos Esquecidos ficam sem receber luz de Hélius Flava na maior parte do ano, assim esta parte do continente é normalmente azulada.

As ilhas ao sul têm estações mais bem definidas e um clima bem ameno. De todas elas, a ilha de Upendi é a que tem o clima mais agradável, quente o ano todo, com vegetação abundante, considerado um paraíso de Akaŝa.

Como a maior parte do continente está sob e não sobre a água, a maioria dos recursos naturais das ilhas é limitada. Algumas ilhas têm maior vegetação, outras contam com alguns minérios, mas de forma geral nem a vegetação e nem os minérios são abundantes em Akvlando. Assim, o continente depende muito do seu comércio, que é o mais intenso em todo o mundo.


GovernoEditar

Embora as capitais do continente sejam Jarailê e Jaraŝé, as ilha de Nag, Letis e Metilene têm seus próprios reinados. O continente tem uma política de ciclos, em que, de tempos em tempos, cada uma das quatro ilhas (Jarailê e Jaraŝé são governadas pela mesma família) assume o governo principal, estabelecendo políticas de impostos, rotas comerciais, fiscalizações, julgamentos, etc.

Cada um destes ciclos dura em média 9 a 15 anos, embora Letis já tenha tido um ciclo de apenas 4 anos e Nag tenha tido um ciclo que durou 40 anos.

Graça à Jara, deusa da água, Akvlando tem uma política pacifista. Por séculos a deusa se recusa a declarar guerra com outros continentes a menos que estes ataquem primeiro.

Isto já causou alguns desentendimentos com Gaja e os adeptos de Tamuz, que insistem que Akvlando devia ter um compromisso moral de apoiá-los em suas intermináveis guerras contra Fajr-Regno por dois motivos. O primeiro é que Jara é mãe de Tamuz e deveria, portanto apoiar o filho. O segundo é que, como Jara prima por justiça deveria cobrar uma justa reparação de Piro, responsável pelo Ragnarök que destruiu quase todo o planeta.


ReligiãoEditar

Além de uma política pacifista, Akvlando é o continente com maior liberdade religiosa. Nele ficam três dos quatro maiores templos politeísta de Akaŝa (o outro fica em Fajr-Regno); além disto, em Akvlando devem existir mais templos de Piro que em Fajr-Regno, que é o continente regido pelo deus do fogo.


ComércioEditar

Seus principais produtos são obviamente o sal e os frutos do mar. Embora quase todas as ilhas tenham alguma salina, o sal mais puro do continente vem da Terra dos Esquecidos, o que é um dos poucos motivos que se têm para ir lá. Akvlando é responsável por 80% de todo sal consumido em Akaŝa, e a Terra dos Esquecidos é responsável por quase 60% de todo sal produzido em Akvlando.

A única ilha com fauna e flora abundante é Upendi, mas é legalmente proibido comercializar qualquer coisa da ilha, pois ela é protegida por ser o grande paraíso de Akvlando. Claro que isto acaba atraindo alguns piratas, as pragas dos mares.

Como as outras ilhas não possuem muitas riquezas naturais, quase tudo que Akvlando produz é consumido internamente, mesmo assim o continente é um grande exportador de produtos finos.

Os dois vinhos mais caros de Akaŝa, Sangue de Dragão (tinto) e Lágrima de Dragão (branco) são produzidos em Jarailê, e o licor mais caro (de fruta-de-letis) é produzido em Letis. E embora o continente não tenha muitos recursos minerais, possui grandes artífices, principalmente especialistas em linhas-guias, portanto é um grande importador de armas, principalmente as mágicas.

Não é incomum o continente importar produtos baratos (algumas armas de Fajr-Regno, licores de Gaja e tecidos de Ajros), melhorarem a qualidade destes e exportá-los, às vezes para os mesmos continentes de origem.

Mesmo sendo auto-suficiente em praticamente tudo, como o continente tem forte tradição comercial, ele importa tudo que os demais continentes tenham para vender e ainda faz intercâmbio de produtos de outros continentes, principalmente entre Gaja e Fajr-Regno.


Principais produtos importados de:

Gaja: Navios, tanto comerciais como de guerra, moveis, licores finos, carne, frutas, doces, cavalos de raça, licores, conhaque, óleos aromáticos e afins, especiarias, corantes para tecidos, castanhas.

Fajr-Regno: Minério, armas, ferramentas, artigos náuticos variados, instrumentos musicais, especiarias, armaduras (metal e couro), jóias (brutas e trabalhadas).

Ajros: Tecidos, mel, grãos, farináceos, especiarias, artesanato, óleos aromáticos e afins.


Principais produtos exportados para:

Gaja: Sal, vinho, frutos de mar, armas mágicas, armas, ferramentas, armaduras de metal, especiarias, licor de Letis, roupas finas, cães de caça.

Fajr-Regno: Sal, frutos do mar, horticultura, frutas e carne (estes geralmente vindas de Gaja), perfumes, armas mágicas, jóias finas, madeira (vinda de Gaja), especiarias.

Ajros: Sal, frutas (normalmente vindas de Gaja e comerciadas quase apenas no inverno), roupas, ferramentas diversas.