FANDOM


Angelina

(pronúncia: AN-DJÊ-LÍ-NA)

Deusa da vida, do ar, da luz, da pureza, da sabedoria, mãe de Piro.


AparênciaEditar

(OBS.: A imagem é do ilustrador João Paulo Vilela, página dele: https://jp-vilela.deviantart.com/art/Goddess-of-Air-703466051)

Anĝelina é a deusa que mais gosta de mudar a forma com que se apresenta (ou gostava, já que nos últimos séculos ela anda aparecendo cada vez menos a seus fiéis): ora é retratada com cabelos negros como a irmã, ora como loira, e também já falaram que seus cabelos pareciam feitos de luz, totalmente brancos e brilhantes, etc.

Em sua forma original, Anĝelina tem 4 belas asas parecidas com as das libélulas, que segundo alguns, quando ela voa, o barulho do bater das asas é ouvido em todo Ajros. Mas ela também é retratada com asas como dos anjos (seus preferidos) e sem asa nenhuma.

Seus olhos normalmente são verdes, mas já os usou azuis em alguns eventos que participou com Jara, e, durante a mocidade de Piro ela usou olhos vermelhos (a quem diga que já a viu levemente ou totalmente ruiva neste época), voltando para o verde quando se decepcionou com o filho, e às vezes apresenta-os totalmente brancos ou totalmente negros de acordo com seu humor.

Já mudou a cor de sua pele e estatura também pode se apresentar desde com meros 1,50 metros até 2,10 metros, mas suas feições são sempre de uma mulher meiga (mesmo que mostre estar decepcionada ou com raiva). Em comparação com humanos aparenta ter entre 19 e 23 anos. Veste-se sempre de branco, usando detalhes em dourados de vez em quando. A única joia que usa é um colar com um pingente de diamante, e também não aparece maquiada.

Arma e SímbolosEditar

Leque da PurezaEditar

O Leque da Pureza foi materializado dos sentimentos mais puros: a castidade, a honestidade, a humildade e a obediência.

PergaminhoEditar

Representa a sabedoria, ou, para distinguir-se de Jara, a busca pelo conhecimento. Em Ajros os templos têm também função de instrução, e não há nenhum ajrense analfabeto. Botânica e Tai Chi Chuan são algumas das matérias obrigatórias.

HarpaEditar

Anĝelina é representada por todo instrumento de corda, em especial a harpa, principalmente a harpa eólica e a zrakarfo, que é uma harpa especial onde algumas cordas só podem ser tocadas por magia.

DoutrinaEditar

A doutrina de Anĝelina é conhecida como Sagrada Conduta, que é baseada na busca por todos os sentimentos puros: castidade, honestidade, humildade, sabedoria, paciência.

O hábito da meditação e exercícios de baixo impacto é uma das bases da doutrina, em especial o Tai Chi Chuan (meditação e arte marcial) e Yoga. A meditação acalma a mente, os exercícios de baixo impacto fortalecem o corpo sem desarmonizar a mente. Também é ensinada a contemplação à natureza, tida como sabedoria natural.

A Sagrada Conduta é uma doutrina defensiva e prega a não-violência. O respeito à natureza começa por não matar nenhum animal a não ser por defesa ou extrema necessidade.

Consequentemente a Sagrada Conduta prega uma dieta vegetariana. Alguns adeptos dizem que não é necessário evitar derivados animais, como leite, ovos e mel, outros permitem apenas o uso do mel, pois embora feito por abelhas, ele é derivado do pólen; já os mais radicais não comem nenhum tipo de derivado animal; por outro lado os mais liberais, principalmente adeptos da Igreja Cisne Branco, permitem incluir da dieta carnes de moluscos e peixes, pois que a carne deles é considerada pouquíssimo contaminada, tanto física como mágica e espiritualmente (são animais tão primitivos que nem chegaram a se contaminar, veja detalhes no doc sobre os planos).

Além da dieta vegetariana, os seguidores da sagrada conduta são proibido de usar qualquer substância que tenha efeitos considerados nocivos ao corpo, como álcool, fumo e drogas. Isto inclui qualquer tipo de fermentação natural, como a fruta de létis, que fermenta no próprio pé. O uso de márgara como tempero e medicamento é algo questionável (em doses pouco além de mínimas o pó de márgara pode ter efeitos alucinógenos e/ou anestésicos, e em quantidades pouco maiores é um veneno poderoso).

Alguns teóricos tentam driblar estas proibições de algumas formas, alegando, por exemplo, que cozinhar algo com vinho ou cerveja não faz mal, pois o álcool evapora durante o preparo, ou usar álcool com objetivo meramente medicinal e casos específicos, como gargarejar e tomar um pouco de cachaça com romã para curar dores na garganta.

As regras mais rígidas dizem respeito à prática da castidade. Anĝelina é conhecida como “A Deusa Virgem” ou simplesmente “A Virgem”, e seus sacerdotes e sacerdotisas fazem voto de celibato.

Todos devem se casar virgens, e o casamento é um só por toda a vida, viúvos não podem se casar novamente, têm que respeitar a memória do cônjuge falecido. O adultério é crime grave, punido com exílio.

Na Sagrada Conduta homens e mulheres têm igual necessidade de observar os dogmas, portanto não é uma doutrina machista nem feminista, e os adeptos de Anĝelina são rigorosos em vigiar seus membros, portanto, muitos dos que pensavam poder viver só de aparência acabaram exilados.

Tanto homens como mulheres devem adotar vestimentas longas e largas, que não provoquem a luxúria. O Hiĵab (véu sagrado) é obrigatório no Neĉ-Vane (Mês da Purificação), e também no mês negro (também conhecido como mês do rato, devido à astrologia akaŝana), em alguns lugares de Ajros é comum também o uso da Burka. Os casais não podem ter relações sexuais depois dos três primeiros dias do Neĉ-Vane, durante todo o mês negro e durante a menstruação e nos dois dias depois. Há também rituais de retiro e jejuns.

A pena de morte só é usada contra o pior dos crimes: a blasfêmia. A maioria dos crimes graves, porém menores que a blasfêmia, é punida com exílio. A prisão só é usada em caso de hereges com grandes poderes mágicos, normalmente demônios ou magos associados a demônios, cuja morte não seria tão eficiente quanto a prisão.

O livro sagrado de Anĝelina, Anĝelina Sutra, é o maior de todos os livros sagrados, com 60 capítulos, a maioria com muitos versículos e também o mais cheio de enigmas e símbolos. O último capítulo do Anĝelina Sutra é chamado de Abenbaring, “A Revelação”, e descreve profecias que dizem respeito ao fim da atual sociedade, como um dia chegou ao fim também a Sociedade Ancestral e os Deuses Ancestrais.

Apesar de ser o último capítulo, o Abenbaring não foi o último a ser escrito. Ao longo de muitos anos Anĝelina foi acrescentando capítulos a seu livro, para ele fechar com 60, o sistema antigo de contagem tinha base 6, sendo 60 um número muito simbólico, algo como “10 vezes completo, 10 vezes pleno”.

O Abenbaring começa profetizando uma guerra entre os deuses, depois fala de uma grande guerra entre humanos, uma guerra centáurica, outra guerra dos deuses e depois o fim de tudo que existe. Muitos teorizam de que pelo menos a primeira guerra entre os deuses já começou, e talvez já estejamos presenciando a grande guerra entre os humanos, e muita coisa tenderá a piorar.

A Sagrada Conduta é, portanto a religião mais rígida, com maior número de rituais e dogmas.

ApariçõesEditar

Por muito tempo (chamado pelos ajrenses de “Anos Dourados”) Anĝelina se fez muito presente no continente. Participava de festas, rituais mais importantes, debatia assuntos do continente, sobretudo sempre mudando um pouco a paisagem do continente, etc. Nestas aparições Anĝelina é descrita como “meiga, porém, séria!” ou, dependendo de qual qualidade se quer dar ênfase, “séria, porém, meiga!”

Depois de gerar Piro, ela passou a dedicar muito tempo ao filho, parando com suas conjurações e mudanças no continente. E sempre fazia suas apresentações junto com o jovem deus, esperando que ele demonstrasse interesse em tomar sua parte nas decisões do continente e da igreja.

Embora não esperasse que Piro fundasse seu próprio continente, Anĝelina apoiou o filho, quando este fundou Fajr-Regno, pois via que ele tinha grandes sonhos, e ela sonhava que isto fizesse da Sagrada Conduta algo ainda maior, e foi com este desejo que ela fundou a Escola Atemense, que seria uma escola “com o poder e a pureza dos dois elementos”.

Mas as decepções que ela teve com Piro no campo religioso foram grandes, o que foi afastando gradativamente os dois. Depois do Ragnarök, Anĝelina passou a aparecer cada vez menos em público. Só os anjos e seus sacerdotes mais elevados tinham o privilégio de sua presença, e uma ou outra vez em cada década ela participava de alguma celebração político-religiosa importante.

Há quem diga que as decepções com Piro levaram a deusa a um estado de depressão constante, mas é claro que afirmar isto constitui séria heresia em Ajros.