FANDOM


Foralen
Foralen é formado de várias ilhas ao noroeste de Akvlando, nas águas bravias de Larmaro. Possui várias cidades, algumas até de relativa importância, tanto que por várias vezes se cogitou de que Foralen poderia se tornar um reinado e quem sabe até chegar a vir se tornar um dos representantes do ciclo de governo de Akvlando.

Mas sempre que Foralen ganha algum destaque, algo sempre acontece. Tanto que não falta quem acredite ser Foralen um lugar amaldiçoado; por outro lado há quem acredite também que ele seja é abençoado por nunca ser como os lugares comuns. Bom, é uma questão de opinião.

Acredita-se que Foralen pode ser a região mais antiga de Akvlando, e não é difícil que de fato o seja, pois há muitas ruínas da Era Ancestral na ilha.

Conta-se também que Foralen já seria influente antes do Primeiro ou Segundo Grande Assentamento, e que teria muitos navios arcanos, que cortavam não apenas os mares, como também os ares. Aqui fica a questão: mas então que raças navegavam nestes navios, já que segundo reza a história, os humanos ainda não tinham surgido?

Deixando a questão do Segundo Grande Assentamento, especula-se que nos primórdios da humanidade, Foralen fazia muitas navegações para o misterioso Outro Mundo e de lá para cá; mas estas navegações foram rareando devido o fato de ser cada vez mais difícil ultrapassar o Triângulo de Yana. Mas há quem acredite que a tradição destas viagens não se perdeu de todo, e até quem afirme que alguns navios de Foralen são legítimos representantes do Outro Mundo.

Avançando mais na história, por volta do século 5 ou 4 ante-Piro seria a primeira vez em que Foralen, então uma região muito próspera, cogitava se tornar um reino. O problema é que naquele tempo os reinos de Akvlando estavam divididos sobre apoiar ou não Garagatá, que estava envolvida com A Seita, mas que alguns acreditavam que seria algo que seria resolvido. Entre os que apoiavam Garagatá estava Foralen; e quando Garagatá foi amaldiçoada, o prestígio de Foralen afundou de carona. Muitos acreditam que vários moradores de Garagatá (dos bons e dos maus) se refugiaram em Foralen.

Superado a crise causada por Garagatá, Foralen voltou a prosperar, até ser tomada no ano de 670, jP por Trond-i-Gatú, o Pirata, e sua igualmente famosa parceira Arla, a Arma dos Mares. Trond-i-Gatú nunca foi derrotado, e o reinado dos piratas em Foralen só foi controlado vários anos depois de sua morte.

Akvlando sempre sofreu com os piratas, mas Foralen sempre foi o refúgio preferido deles, seja pelas águas bravias, seja pelos sem conta de lugares bons para se esconder e abordar outros navios.

Quando acreditava-se que Foralen finalmente se tornaria um reino, veio o Ragnarök, que ainda que tenha prejudicado menos Akvlando que os demais continentes, deixou toda Akaŝa de pernas pro ar.

Os membros do Yüksek Kan preferiram buscar reerguer Metilene que apoiar a idéia de Foralen entrar no ciclo de governo de Akvlando. Mas como alguns cidadãos de Foralen vêm se tornando cada vez mais importantes, arrumou-se para que eles por enquanto participem das reuniões dos governantes como conselheiros aliados de outros reinos.

Atualmente Foralen é governada por duas famílias cujos representantes se auto-proclamam duque: o duque Alonso III, que tem um governo mais autoritário, busca apoio do Yüksek Kan e do reino de Metilene; e o duque Martini II, que prefere governar de forma mais estratégica e conta com o apoio da várias confrarias locais, do reino de Nag, da Escola Izete e até da Igreja Cisne Branco.

Segundo boatos, Martini II seria descendente dos piratas, e sua esposa, a duquesa Ĵabila Kabb, cuja beleza e polêmica faz par com a princesa Karine Laur de Nag mesmo sendo a duquesa bem mais velha, seria também descendente direta ou talvez até a própria reencarnação de Arla.