FANDOM


EXILADOS2
1) ĴOKONA a) PORTO NOLOVY
2) DAFODIL b) VERDA ERO
3) NESOPRY c) ESTREITO ESTUPOR
d) TORRES DE CRISTAL NEGRO
e) REGIÃO LUPINA
f) PORTO ULTIMUS


GeografiaEditar

A Ilha dos Exilados, ou também chamada de Ilha dos Excluídos, é o maior dos resultados desastrosos do Ragnarök; ela surgiu exatamente no epicentro da explosão causada por Piro. São duas enormes placas de terra separadas por um rio em zig-zag posicionadas bem no meio do planeta.

Não há riquezas naturais na ilha, a fauna e flora são muito pobres, o clima é seco na parte oriental e úmido na parte ocidental e muda do muito quente para o muito frio com facilidade. Boa parte da ilha está sempre envolta em neblina, principalmente Dafodil.

O mar em volta da ilha recebe nomes diferentes de acordo com os outros continentes: na parte próxima à Akvlando ele se chama Dolĉamar, na parte próxima à Gaja chama-se Mar Gaagua, na parte próxima à Ajros chama-se Ayörý Iřidäräpëru (Mar Cinza em Yrdok) e próximo à Fajr-Regno chama-se Bars-Xotev (Mar Cinza em Moloke). O rio que separa as duas ilhas chama-se Rio da Serpente.

Ao norte de Ĵokona fica uma área deserta (chamada de Deserto de Ĵokona, Deserto dos Demônios ou Deserto de Lama), este é o deserto mais úmido de todo o planeta. Seu solo (se é que podemos chamar aquilo de solo) é uma espécie de barro preto, viscoso e mal cheiroso; um tipo de musgo é encontrado no meio deste deserto e apenas lá. Até os insetos são raros aparecer naquele local. Além de Dafodil (capital) e Ĵokona, a única cidade é Nesopry. No norte fica o Porto Nolovy e no sul o Porto Ultimus. Ao sudoeste fica a única área realmente fértil do continente, conhecido como Verda Ero, é uma região montanhosa de floresta densa que termina num grande campo florido, um verdadeiro pedaço de paraíso no meio do inferno. Os lupinos (que dominam toda a área a oeste de Nesopry) consideram Verda Ero um local sagrado, e não caçam ou lutam nas proximidades.

A região mais fria do continente é o Estreito Estupor, onde as altas montanhas são eternamente nevadas, o local é de difícil acesso, e também é a região onde fica a parte de mais difícil navegação do Rio da Serpente.

De toda ilha, o lugar mais curioso e perigoso é certamente onde estão as Torres de Cristal Negro. Estas torres com quase sessenta metros de altura são feitas de um elemento desconhecido e extremamente resistente, com propriedades mágicas fortíssimas, embora ainda desconhecidas.

Elas surgiram 11 anos depois do Ragnarök, no mês do rato, mas não se sabe ao certo o que causou o surgimento delas. A história que mais se conta é que um grupo de bruxos de todos os elementos se reuniu no local para trocar experiências mútuas sobre magia avançada.

Porém, alguma coisa nesta reunião teria dado errado, criando uma forte Disruptura de Mana, que causou uma grande explosão. Segundo relatos de quem estava vivo naquele tempo, a explosão foi sentida até nos outros continentes, e muitos acharam que era outro Ragnarök (talvez de fato fosse, em escala menor). Dos tais magos nunca mais se soube notícia, e no local sobraram estas torres e uma grande área de anomalia mágica ao redor.

GovernoEditar

Não é muito difícil deduzir que aqui não é um lugar agradável para se viver (pelo menos não para as raças não demoníacas), assim a população da Ilha dos Exilados é formada predominantemente por Demônios.

Os Humanos que aqui vivem são na maioria escravos dos demônios ou são pessoas condenadas ao exílio nos outros continentes.

Mas há também quem procure a Ilha por motivos comerciais ou militares, pois por pior que ela seja, está no meio do planeta, e é ponto estratégico para quem precisa ir de um continente para outro.

Alguns consideram a Ilha dos Exilados como um continente, outros não. Não existe um governo concreto na Ilha, mas Ades (tido para alguns como um deus) comanda a maior parte da ilha. De qualquer forma esta é uma terra sem lei, onde tribos rivais disputam o poder constantemente (no mapa, cada ponto rosa representa uma tribo diferente).


ReligiãoEditar

Como a Ilha dos Exilados é uma terra sem lei, ela é também uma terra sem religião oficial. Os que vêm de outros continentes por motivos comerciais ou militares costumam manter a mesma religião que tinham em seu continente natal.

Como a Ilha recebe muitas pessoas exiladas de outros continentes (daí o nome) é interessante notar que nela há muitos grupos que, ao invés de adorarem um deus expecífico, odeiam um deus específico; normalmente aquele que foi motivo de seu exílio. Isto acontece principalmente com os exilados de Ajros em relação à deusa Anĝelina.

Ades e seus seguidores têm buscado conquistar definitivamente a Ilha dos Exilados, pois esperam a partir de lá poder controlar todo o resto de Akaŝa; ele ergueu uma fortaleza ao redor das Torres de Cristal Negro e de lá tem comandado seu pequeno, porém crescente império.