FANDOM


Jarase
Jaraŝé e Jarailê são as duas capitais de Akvlando, formadas por dois arquipélagos situados bem no centro do continente. Neles vivem a família real de Glen, a mais influente dos quatro reinos de Akvlando.

O arquipélago é banhado por Dolĉamar ao sul e por Larmaro ao norte. Como muitas das ilhas são muito próximas, e como boa parte do terreno e das águas são arenosos, dependendo da época e da maré é comum que as ilhas se juntem formando uma só.

Jaraŝé é o reino mais agitado de Akvlando e o que mais recebem viajantes de todos os lugares do planeta. Aqui se encontram todas as religiões, todos os idiomas e todas as profissões. Encontramos Anjos vindos de Ajros, Centauros vindos de Fajr-Regno, ŝaks de Gaja e, embora não sejam bem-vindos, não é totalmente impossível se encontrar alguns Demônios andando pelas ruas de Jaraŝé.

Como em quase todas as maiores capitais de Akaŝa, podemos encontrar tudo que pensarmos em Jaraŝé, principalmente para comprar ou vender, pois o maior comércio do continente é aqui. Em muitas das praças principais o mercado funciona até altas horas da madrugada, principalmente no período dos dias azuis.

Além disto, Jaraŝé também faz a maior parte da intermediação de mercadorias entre Gaja e Fajr-Regno; outras ilhas, como Jarailê e Metilene também fazem este tipo de intermediação comercial dos dois continentes, mas a posição de Jaraŝé é mais privilegiada.

Com toda esta diversidade nas ruas, as duas capitais têm que ficar atentas para evitar problemas e preservar a fama de Jara de ser pacífica e tolerante.

Além de templos da Igreja Central, as cidades têm templos da Igreja Cisne Branco, templos politeístas, da Escola Izete (que nasceu em Jaraŝé), do Yüksek Kan e até templos do deus Piro. Além de ser pontos importantes para todas as escolas citadas acima, Jaraŝé e Jarailê reúnem grandes grupos de adeptos até de escolas tradicionalmente distantes de Akvlando como a Escola Atemense, a Sagrada Conduta e o Exército das Amazonas de Gaja. Apenas os adeptos de Ades não são bem vindos nas capitais (o que não quer dizer que eles não existam por lá).