FANDOM


Situada ao norte, entre o Deserto do Sal e a Grande Rochosa e cortada pelo Rio da Deusa, Mahijar não é apenas uma das principais cidades de Fajr-Regno, mas é também a cidade de Fajr-Regno mais importante para Akvlando.

Tudo começou com o Rio da Deusa; algum desavisado pode achar que a homenagem é para Anĝelina, mãe de Piro, porém o Rio da Deusa é obra da deusa Jara. Quando Piro ainda estava fundando Fajr-Regno (entre 230-240 jP), como o principal problema de seu continente sempre foi a água, ela o presenteou com este rio e com a criação dos kalakes.

Ao admirar o rio e a Grande Rochosa, de um ponto alto do Deserto do Sal onde começaria ser construída a cidade, o deus Piro teria bradado com muita emoção algo que os presentes ouviram como "mahìr" ou "marar", só que ninguém entendeu o que ele quis dizer e nem em que idioma. A maioria acha que "mahìr" seria uma palavra que teria dado origem a "maravilhoso" ou "mavioso", o que faria bastante sentido dado à beleza do lugar. "Marar" se assemelhava a palavra "malar", que em Yrdok quer dizer "futuro"; já em Traarnak ele poderia ter dito "maral", que remete à magia verde e, por associação, à "terra fértil", e Mahijar realmente se tornou uma terra bem fértil. Ainda havia três dialetos locais que Piro usava muito, mas em nenhum deles ficou bem claro.

Quando a vila Mahír, que viria a se tornar a cidade de Mahijar, começou ser construída, um cidadão que era adepto de Jara argumentou que: "Como o rio foi feito pela deusa Ýar (nome de Jara em Sella), e o título da deusa é Magn'Ýar, Piro certamente trocou o título Sella 'Magna' pelo traarnak 'Maha', e portanto sua expressão foi uma exaltação à grandeza de Ýar".

A explicação dele pareceu muito forçada, mas como Piro nunca desfez o mistério do que realmente teria dito, e também como ele e os fajrenses sempre gostaram de adular Jara, todos passaram a aceitar esta versão da homenagem à deusa. Desde então, até em Akvlando parou-se de chamar a deusa pelo título Magn'Ýar para usarem o título de Maha Ýar que depois do Esperanto se tornou Maha-Jara. Até o título da Magna-Dona foi substituído por Maha-Dona.

Pela localização de Mahijar, a navegação entre os dois continentes é privilegiada. Em Burnabad, que fica o outro principal porto de Fajr-Regno, pode-se chegar a todos os continentes, mas de Mahijar só se pode chegar ou partir por meio de Akvlando. Assim o maior número de estrangeiros akvlandanos mora em Mahijar. Por fim, quando a Escola Izete foi fundada em Jaraŝé, ela logo foi aceita em Mahijar, e construíram um templo para a escola antes mesmo de ser erguido um em Jaraŝé. Até hoje Mahijar é uma das mais importantes cidades para a Escola Izete.

Mahijar é também a capital política e cultural de Fajr-Regno (embora as questões políticas no continente nunca fossem lá muito organizadas). O número de bardos, poetas, artistas nômades (e de carona, de pícaros) em Mahijar é maior que em qualquer outro lugar do planeta.

Mahijar é o lugar em Fajr-Regno onde mais se encontram Sereias. Embora elas estejam sujeitas a ficar encontrando Demônios, elas buscam muito a cidade devido aos motivos já citados.

Por estar pregada à Grande Rochosa é uma cidade de importante atividade mineradora; no Deserto do Sal muitos alquimistas extraem diferentes substâncias para diversos fins; a flora única de Mahijar é algo que interessa tanto ao comércio, como a herbanários, médicos, feiticeiros e bruxos.