FANDOM


Para aventuras mais simples e básicas, o mais fácil é usar personagens arquetipos. Estes personagens não são melhores ou piores que nenhum outro tipo de personagem, são apenas mais simples, tanto de se criar, como de se interpretar, pois sua profissão já determina quase tudo que se espera deles.

Ollin é o arquétipo do personagem arqueiro, e sua criação foi muito parecida com a de Ramon, sendo interessante para jogadores novatos comparar ambos, para notar como basta fazer pequenas alterações para se ter um personagem diferente, pode-se até criar uma aventura em que Ramon e Ollin participem juntos para se verificar a dinâmica dos dois.

Assim como Ramon, a principal função de Ollin é matar monstros, porem ele usa arco, ao invés de espada. Numa aventura com muita masmorra, como costumam ser as aventuras para iniciantes, isto pode limitar bastante o personagem, já que arco é arma para ataque a distância e não para ambientes fechados.

Proposta da campanha: "Vocês estão em Gaja, na ou próximos à cidade de Blualando, e ficam sabendo que um visconde das redondesas está convocando um grupo de aventureiros para escoltar importantes representantes do Yüksek Kan até Nadias. Cada um de vocês, por motivos diversos, resolve se unir a este grupo de aventureiros."

Raça: Humana. Embora o MJ não tenha explicitamente limitado a raça, como a aventura vai se dar em Gaja, os centauros e demônios são bem incomuns, e anjos também não são frequentes no continente (isto tudo é definido pelo cenário, mas se um jogador não conhecer bem o cenário e quiser escolher uma destas raças o MJ pode buscar uma boa desculpa para permitir a raça fora de seu habitat natural, ou pode simplesmente fingir que também ignora isto). Sexo: Masculino, nesta campanha o sexo não faria muita diferença, então escolhi masculino só por praticidade.

Dados pessoais: Coloquei o padrão para um humano Gaja.

Nome: Ollin. É um nome azteca, e só escolhi por causa da sonoridade. Já vi quem não quis aprender jogar RPG só por que não "sabia escolher estes nomes complicados que a gente usava no jogo". Considerando que Akaŝa é um mundo completamente diferente da Terra, há quem acredite que nomes comuns não ficariam bons em seus heróis. Aqui no Brasil o pessoal tem mania também de pensar que "João" é um nome muito fuleiro, enquanto "John" já é um nome legal. Pessoalmente eu não me preocupo muito com isto, e principalmente personagens humanos eu deixo colocar qualquer nome, conhecido ou não. Há várias páginas na internet com dicas de nomes árabes, hebraicos, gregos, etc.

Idade: 28 anos – Nem novo nem velho demais para ser um arqueiro.

Peso e altura: 1,75 m 80 Kg – Levemente acima do peso. Por ser de Gaja podia por ainda mais gordo, mas como é arqueiro não quis exagerar.

Pele morena clara com cabelo preto curto e olhos castanhos – Estas características típicas estão no próprio programa de ficha de personagens, e também podem ser achadas na parte sobre Raças e outras páginas dos cenários.

Naturalidade – Coloquei só Gaja, na história dele vou colocar que ele vivia de vila em vila, portanto a cidade específica em que ele nasceu não tem importância.

Deus – Tamuz. Em campanhas "plug-and-play" a opção de deuses não faz muita diferença, principalmente campanhas tipo Dungeon Crawler (Rastejadores de masmorras) e mais ainda para personagens militares, como será o Ollin. Assim, se eu tivesse colocado Ateu ou escolhido Tamuz e Jara não faria muita diferença. Claro que, desejando, o jogador pode interpretar o personagem com certa religiosidade mesmo nas missões cujo objetivo básico é "matar, pilhar e destruir".

Filiação – Nenhuma - Quando o MJ não estipula nenhuma filiação, principalmente em aventuras básicas, deduz-se que a filiação não fará diferença, então não coloquei nenhuma.

Vocação: Militar – Igual na ficha de Ramon, escolhi um personagem bem arquetípico, portanto a Vocação Militar fica sendo a mais óbvia.

Atributos: Joguei o máximo na Destreza (5) que para um arqueiro é mais importante que força, depois coloquei mais 4 pontos em Força pois são as duas características mais importantes para um guerreiro. Tirei um ponto de Q.I. e coloquei mais um ponto em Percepção Também porque ele é arqueiro. Eu poderia parar aqui, ou ainda tirar um ponto de Vitalidade e colocar em Percepção, pois sendo atacante de longa distância ele não precisa de muitos PVs; mas para deixá-lo mais parecido com o Ramon tirei ainda outro ponto de Q.I. para acrescentar em Vitalidade.

Magia: Deixei a zero, pois meu personagem não pretende usar magia mesmo.

Perícias - Como Arco é mais caro que perícias de armas como Espadas e Bastão e Lança, se eu colocar como Profissional, ficarei quase sem ponto nenhum para outras coisas, então coloquei Praticante. Depois coloquei Praticante em Sobrevivência, pois o caminho que vamos fazer será pela floresta (dedutível pois Gaja é um continente todo feito de florestas).