FANDOM


Para aventuras mais simples e básicas, o mais fácil é usar personagens arquetipos. Estes personagens não são melhores ou piores que nenhum outro tipo de personagem, são apenas mais simples, tanto de se criar, como de se interpretar, pois sua profissão já determina quase tudo que se espera deles.

Ramon é o arquétipo do personagem guerreiro, sua preocupação maior é matar monstros, o que é muito útil na campanhas cheias de masmorras e inimigos.

Proposta da campanha: "Vocês moram numa vila de Fajr-Regno próxima ao Desfiladeiro Selvagem, e atualmente o número de ataques de bestas e Raças Selvagens às pessoas e ao gado da vila tem aumentado, e vocês serão heróis que cuidarão de dar um jeito nestes monstros. A maioria deles se esconde em cavernas e túneis no Desfiladeiro Selvagem. A aventura se limitará a personagens humanos, modo básico, sem filiações especiais."

Raça: Humana, pois foi limitada pelo MJ. Sexo: Masculino, nesta campanha o sexo não faria muita diferença, então escolhi masculino só por praticidade.

Dados pessoais: Coloquei o padrão para um guerreiro de Fajr-Regno.

Nome: Ramon, um nome básico, para um guerreiro básico. Já vi quem não quis aprender jogar RPG só por que não "sabia escolher estes nomes complicados que a gente usava no jogo". Considerando que Akaŝa é um mundo completamente diferente da Terra, há quem acredite que nomes comuns não ficariam bons em seus heróis. Aqui no Brasil o pessoal tem mania também de pensar que "João" é um nome muito fuleiro, enquanto "John" já é um nome legal. Pessoalmente eu não me preocupo muito com isto, e principalmente personagens humanos eu deixo colocar qualquer nome, conhecido ou não. Há várias páginas na internet com dicas de nomes árabes, hebraicos, gregos, etc. No caso do Ramon, se eu quisesse reforçar o idioma Esperanto, que é o oficial em Akaŝa, eu poderia colocar "Hamon", mas preferi deixar o original.

Idade: 30 anos – Nem novo nem velho demais para ser um guerreiro

Peso e altura: 1,79 m 85 Kg – Nem baixo e nem magrelo

Pele morena clara com cabelo e olhos castanhos – típico de um homem do sul de Fajr-Regno (onde fica o Desfiladeiro Selvagem). Estas características típicas estão no próprio programa de ficha de personagens, e também podem ser achadas na parte sobre Raças e outras páginas dos cenários.

Naturalidade – Coloquei só Fajr-Regno, pois no exemplo nem o nome da vila foi dado, por não ser considerado importante.

Deus – Ateu, como a maioria dos fajrenses. Eu poderia escolher um Deus como Piro ou Anĝelina, mas para este personagem isto não fará diferença para ele.

Filiação – A proposta não dá vantagem para filiações, então poderia deixar em branco, mas coloquei “Milícia Local” só para ilustrar seu arquétipo de guerreiro, poderia até dar um nome para a milícia, como “Caçadores de Ogres” ou “Defensores de Fajr-Regno”.

Vocação: Militar – ÓBVIO! Pois estou fazendo um arquétipo de guerreiro.

Atributos: Joguei o máximo na Força (5) para fazê-lo do tipo que bate muito, depois coloquei mais 4 pontos em Destreza pois são as duas características mais importantes para um guerreiro. Tirei um ponto de Q.I. e coloquei mais um ponto em Vitalidade para ele ficar mais forte. Como a campanha vai exigir pouco do atributo Q.I., tirei ainda outro ponto para acrescentar em Percepção para que ele não fosse um guerreiro desatento.

Magia: meu personagem será um guerreiro arquetípico, então nem mexi nesta área, pois não vou usar magia mesmo. Como o sistema é básico, poderia colocar 10% de magia do fogo, pois é o padrão para humanos, e ele é de Fajr-Regno, mas deixei no zero mesmo.

Perícias: Como fiz o personagem com muita força, minha primeira perícia será uma de corpo-a-corpo, nada melhor que Espadas (profissional); como vou jogar no Desfiladeiro Selvagem, coloquei praticante em Escalar, que muito provavelmente me será bastante útil.

Com os pontos que sobram coloquei Novato em Medicina, curioso em Mecânica (para as armadilhas que podem haver nas masmorras, cavernas, túneis e afins) e curioso em Natação (o Mestre não comentou nada sobre ter situações com água na campanha, mas nestes casos, quando colocamos pontos em perícias que não sabemos se serão muito úteis ou não, o Mestre (se for um bom mestre) se encarrega de criar alguma(s) situação(ões) para usarmos esta perícia).

Como vou jogar no modo básico, finalizo a ficha por aqui. Agora vou na guia Detalhes (Verso) e coloco a história do meu personagem.

Como o cenário é simples, e busquei fazer o personagem bem arquetípico, a história dele não precisa ser muito elaborada.

Ramon sempre morou próximo ao Desfiladeiro Selvagem, como a vida sempre foi complicada nesta parte do mundo, ele resolveu entrar para a milícia local. Depois de alguns anos treinando, o povo resolveu se organizar para matar as bestas do desfiladeiro, e ele foi o primeiro a se apresentar para a tarefa.