FANDOM


Não se sabe ao certo como alguns lupinos saíram da Gaja e foram parar na Ilha dos Exilados. Talvez uma parte de Gaja onde eles estavam tenha se desprendido no Ragnarök e virado esta região da Ilha dos Exilados; talvez eles tenham nadado no desespero quando parte o continente virou o Pantanal de Gaja; talvez foram vítimas de reencarnações anormais; ou então foram tragos para serem escravizados por Demônios, mas depois se libertaram...

Seja como for, com certeza eles não foram para lá por livre escolha. Embora a região seja bem extensa, não é uma região boa de caça (como todo o resto da Ilha dos Exilados).

Apesar de tudo (ou devido a este tudo), os lupinos da Ilha parecem, em termos de inteligência, mas desenvolvidos que seus parentes de Gaja, e levemente mais fracos também. Mas que ninguém se iluda: eles continuam sendo dos predadores mais perigosos que existem; talvez até mais que os outros, pois sua comunidade é um pouco mais complexa.

As lupinos consideram a região de Verda Ero como sagrada, e não lutam ou caçam nesta região. Eles também evitam aproximar-se demais das cidades humanas (assim como os Humanos de bom senso evitam aproximar-se da região lupina), mas muitos gostam de emboscar grupos de humanos e também de demônios, não apenas pela caça (eles gostam da carne de ambos), mas também para saquear suas armas e outros apetrechos. O maior perigo se encontra quando alguém tem que sair de Porto Ultimus para ir a Nesopry, ou o inverso; obviamente evita-se fazer este tipo de viagem sozinho ou a noite.

Há quem afirme que os lupinos da ilha tendem a não atacar mulheres grávidas e crianças (os de Gaja só poupam filhotes muito novos, mas não costumam poupar mulheres grávidas). Isto pode ser apenas mero boato, já que mulheres e crianças não costumam ficar "dando bobeira" nesta área. Há também boatos de que em alguns lugares de Nesopry, alguns lupinos aceitam até trabalhos mercenários.

Uma curiosidade sobre os lupinos é que eles, assim como os lupinos de Gaja, não caçam coelhos, sendo o único animal que prolifera a vontade na região deles. O mais curioso disto é que muitos acreditam que isto tenha alguma relação com a parábola sobre lobos e coelhos do Jara Sutra; só não me perguntem que relação os lupinos teriam com a Deusa das Águas.